Quem sou eu




Definir quem sou é algo difícil. Falar da minha história não é, mas isso não seria exatamente revelar quem sou. Apesar de que isso pode dar pistas a meu respeito. Mas pistas nem sempre nos levam aonde queremos chegar. Por isso, é algo vago que não define, apenas representa. De qualquer forma as pessoas precisam saber; ter uma ideia, isso as conforta. Mesmo que eu ainda esteja na busca e não tenha muita certeza de saber exatamente quem eu sou. O processo é longo e é para toda a vida.

Uma vez me defini como uma lagarta no casulo. Aquela coisa do Raul Seixas na música “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante”, faz todo o sentido para mim. Essa metamorfose ambulante, fala de olhar a vida para além da superfície. Questionar a vida; observar as atitudes; as minhas atitudes; os acontecimentos ao meu redor e dentro de mim. Nem sempre é fácil ver a vida com os olhos apurados, observar, questionar. O tirar os véus da ilusão, que envolve a vida que criamos e, que criamos para não olhar a vida como ela realmente é. Você tem que estar certo de aguentar o tranco. Porque a vida material pode perder um pouco o brilho se você não entender o brilho que ela tem. É preciso saber equilibrar o corpo, a mente e o espírito. Creio que os Yogis tenham buscado isso através das suas práticas. Não é para menos que Yoga significa União. 

Não dá também para ficar só nessa coisa da alma e do espírito e esquecer que existe uma razão no viver. Também não podemos nos perder apenas na matéria e esquecer que somos mais do que seres materiais. Mas neste viver existe um sentido, se não porque estaríamos aqui? Seu propósito é único e, com certeza, não viemos aqui só para passear ou, só para pagar carmas, como diriam alguns.


A tal metamorfose ambulante pode parecer cansativa, mas se é dá natureza, como poderia ser? E ela também não é aquela coisa de mudar porque se tem uma natureza inconstante, mas mudar porque se tem uma necessidade de ajustes na própria vida. Mudar de crença, mudar de rumos, mudar de profissão, mudar de tantas coisas. Mudar, principalmente, para evoluir.

Acredito que o dia de amanhã tem que nos levar para um pouco mais além do que estávamos no dia de ontem. Isso significa aprender sempre algo novo todos os dias. Aprender a observar o mundo, a rever situações, reconsiderar acontecimentos, retratar-se com as pessoas, ressignificar a vida. Ou seja, aprender a dar um novo significado aos acontecimentos e às pessoas. Uma nova visão de mundo pode mudar toda uma vida. E que seja sempre para melhor.

Ser uma alquimia constante nesse tubo de ensaio chamado vida, trás todo um colorido a ela, que só quem caminha nessa direção pode conhecer. E acho que esse é o caminho de todos nós. Por isso aqui no meu blog, você vai encontrar muitos assuntos, todos ligados aos meus interesses, aos meus processos de observar a vida. Vai encontrar também um pouco de Astrologia, que é a minha ferramenta favorita para o autoconhecimento, e esse processo de ser "Metamorfose"; que nos ajuda nesse crescer, que implica em aprender a "SER" nesse mundo de tanto "TER".

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional
Contato: 55 11 98139-1640
Atendimento com hora marcada