Astrologia - Textos

QUEM É O ASCENDENTE?

É verdade que o Ascendente aparece mais depois dos 30 anos?

Essa é uma pergunta que eu já ouvi algumas vezes; vezes suficientes para entender que ainda existe muita informação truncada com relação à Astrologia, e com certeza não serei eu a mudar isso, mas a gente se esforça. Sei que isso não é algo deliberado, até porque em todas as profissões e atividades humanas é assim, a gente entende somente aquilo que precisa ou que nos chama a atenção por gosto. 


Mas quem é o Ascendente no Mapa Astral e qual o seu papel em nossa vida?

Vamos lá! O Ascendente é o signo que estava a leste do horizonte, onde nasce o sol, no momento do nascimento, seja de uma pessoa ou de um evento. Ele é quem dá início a roda Astrológica. A nossa roda de cura pessoal que trazemos conosco para esta vida. A partir dele define-se a posição dos personagens, dos nove corpos celestes* em nossa história particular, pelas doze casas do mapa; bem como os signos que estarão em cada uma delas. 

O Ascendente é aquele que sempre chega na frente em todos os lugares, porque ele é nosso cartão de visitas. Ele é como nos movimentamos no mundo, como damos início as coisas, as nossas atitudes. As qualidades do signo que Ascende irá definir a maneira como abordamos a vida e como nos colocamos nas situações em um primeiro contato. 

Ele é a cabeça e por ele nos guiamos para interagir com o mundo; o nosso jeito, às vezes, meio sem jeito de se comportar. Representa o nosso corpo físico, a nossa aparência e como nos apresentamos. Tem de todos os tipos: os tímidos, os exuberantes, os rebeldes, os impacientes, os observadores, os misteriosos. 

Como o Ascendente é o jeito como nos apresentamos no mundo, ele pode encobrir muito o signo do nascimento (solar), uma das razões pelas quais pessoas do mesmo signo agem de modo diferente. Ele também indica a nossa vitalidade e a capacidade de resistência às doenças. A saúde está muito relacionada com este signo. Na Astrologia Esotérica ele representa a vida futura e o propósito imediato da alma para está encarnação. 

Para entender melhor farei uma analogia do Ascendente com a fachada de uma casa, que é a sua aparência exterior. Existem algumas grandes e bonitas, que enchem os olhos, e outras mais modestas e com pouca expressão, aliás tem de todos os tipos. Mas o que vemos do lado de fora nem sempre revela o que existe em seu interior. Para conhecê-lo é preciso que se atravesse o jardim e que se seja convidado a entrar. Daí você pode ter muitas surpresas com relação à primeira impressão. 

Você pode descobrir que algumas apesar de bonitas por dentro são frias e bagunçadas; já uma mais simples e sem adereços, se revela uma surpresa agradável, onde você se sente acolhido e amado. Mas nem todas são assim, algumas refletem exatamente o eu interior. Isso acontece quando o sol se encontra no mesmo signo do Ascendente. Neste caso a pessoa irá expressar em atitudes a sua verdadeira essência representada pelo signo do Sol, porque pertencem ao mesmo signo. Isso não quer dizer que as outras pessoas sejam falsas, apenas que o seu modo de agir no mundo difere da sua essência (Sol). Os motivos para isso? Talvez tenha a ver com essa riqueza e multiplicidade de pessoas diferentes que somos; de experiências de alma que vivemos, e das necessidades individuais para a realização da vida na Terra. Acredito que temos o que precisamos ter, o que conquistamos ou o que perdemos e precisamos recuperar para realizar nossa missão neste planeta, e isso é o que importa. Somos muitas misturas, somos seres cheios de cores. 

O Ascendente fica mais evidente depois dos 30?

Bem, as fachadas não mudam. Você sempre terá o mesmo ascendente e o mesmo jeito de ser; a mesma forma de agir e de se posicionar perante o mundo do nascimento até a morte. O que pode acontecer é você resolver dar um "UP" nas qualidades da energia representadas pelo Ascendente, à medida que for amadurecendo. Todos os signos possuem o negativo e o positivo e que podem ser desenvolvidos de acordo com a nossa vontade. Aprimorar e desenvolver-se para melhor depende de cada um. Daí você pode mudar a cor da fachada, trocar as janelas, mudar a porta, ampliar o jardim. Mas a fachada sempre será a mesma. Para mudá-la, efetivamente, será preciso derrubar a casa e isso significa, nascer de novo. 

Aproveite tudo o que recebeu. As energias que estão ao seu dispor para tornar-se o seu melhor. Não sabe qual é o seu signo Ascendente, as qualidades que estão ao seu dispor? Então procure um Astrólogo ele vai ajudá-lo nessa descoberta. 

Palavras-chave do Ascendente: O eu, a individualidade, a unidade, o impulso criador, o modo de agir

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional

* Corpos Celestes envolve os luminares Sol e Lua e os planetas Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. 

O QUE EXPLICA AS DIFERENÇAS ENTRE PESSOAS DO MESMO SIGNO?

Você já ouviu esse comentário? 

"Eu não tenho nada do meu signo solar. Ou então: Sou do mesmo signo de fulano e somos tão diferentes. Isso tudo é bobagem, não sei como tem gente que perde tempo com isso."

Com o intuito de ajudar na compreensão desse dilema astrológico, vou explicar o que pode promover essa aparente diferença entre pessoas nascidas no mesmo Signo Solar. Ela começa justamente no nome: "Signo Solar". Ele é o signo onde o Sol transitava no momento do nascimento. Então quando alguém diz que é do signo de Aquário, ela quer dizer que, quando nasceu, o Sol estava nesse signo.

O Sol representa a nossa identidade, a nossa essência, o motivo de estarmos aqui. Ele é o carro chefe dessa comitiva que leva consigo mais nove corpos celestes, e é sem dúvida, o personagem principal nesse cenário astrológico. Mas para que sua expressão se torne completa, outras sutilezas do ser também precisam se expressar. Por isso é correto dizer que temos no mapa vários signos, como por exemplo: o signo Ascendente, o signo da Lua, o signo de Vênus etc. E é aí que as diferenças se apresentam e que podem dificultar a percepção da natureza Solar. Essa alquimia planetária pode nos dar a impressão de que pessoas do mesmo signo são diferentes ou, até mesmo dificultar uma pessoa em identificar-se com o seu próprio signo. Neste último caso, vale acrescentar que o sol, que é nossa identidade, vai se revelando aos poucos à medida que amadurecemos. Por isso pode não ser tão claro na primeira fase da vida. Outros caminhos precisam ser percorridos até que as qualidades do sol se apresentem em sua totalidade.

As qualidades do signo do Sol revelam os propósitos da nossa alma, mas nem sempre sua natureza combina com o nosso modo de agir, de amar, de pensar e de sentir. Essas particularidades são expressas por outros planetas que podem estar, ou não, no mesmo signo do Sol. A saber:

1. Planeta Marte - ação, libido;
2. Planeta Vênus - afetividade e valores;
3. Lua - reação emocionais, condicionamentos;
4. Planeta Mercúrio - modo de pensar, aprendizado, comunicação;
5. Ascendente - como nos colocamos no mundo, nosso corpo físico.

Esses quatro planetas, chamados de pessoais mais o Ascendente, podem modificar o modo como o Sol encontrará canal para se manifestar. O propósito solar será o mesmo para os que nascerem no mesmo signo, mas as abordagens nem sempre serão. Como um corpo, nossa estrutura biológica é a mesma, mas isso não nos torna iguais, apenas semelhantes. Assim é o mapa astrológico, a estrutura é a mesma, mas o modo como ela se apresenta e se manifesta nem sempre será.  

Um mês, trinta graus, um signo solar, nove corpos celestes, doze signos, doze casas, aspectos, ascendente e mais. Elementos que se misturam e que vão se transformando a cada minuto numa dança planetária ininterrupta e, em um dos passos dessa dança, nascemos. Uma dança que acontece em tempos diferentes para cada planeta, refletindo  nos comportamentos de cada pessoa e em cada geração. Somado a isso temos ainda os fatores externos, tais como a sociedade e a cultura da época em que nascemos. E para completar, um item que não pode ficar de fora e que considero o mais importante: a maturidade espiritual. Esta em especial é a chave mestra para o bom uso das energias apresentadas no mapa. Quem sabe isso possa esclareça um pouco a questão com relação às pessoas nascidas no mesmo momento. A bagagem espiritual e o livre-arbítrio são pontos importantes no gerenciamento desse plano de vida, ao longo da jornada. Cabe a cada um aproveitar com sabedoria o que recebeu. 

Diante disso dá para perceber que a complexidade astrológica é apenas um reflexo da própria complexidade humana. Ela é um caminho como muitos para se chegar a uma melhor compreensão de nós mesmos e, tudo que nos leva para mais perto de nós, não pode e nem deve ser deixado de lado. Somos ensinados a ter fé, mesmo em coisas que nunca vimos. Bebemos das águas dessas fontes que alimentam o espírito e acreditamos assim mesmo, sem ter como provar. É o ato de fé. A Astrologia é uma dessas fontes e, no caso dela, não existe a necessidade da fé, basta estudar e conhecer para compreender a sua validade na vida da gente.

Então se você tem dificuldade em identificar-se com as qualidades do seu signo solar, entre em um site de Astrologia e levante o seu mapa. Certifique-se de que a hora do seu nascimento está correta e, talvez você descubra, a título de exemplo que o seu Sol tímido e sensível em Peixes tem como assistentes uma Vênus em Aires, um Marte em Aquário, uma Lua em Sagitário e um Ascendente em Leão. Todos, signos masculinos e de ação, trabalhando na realização desse signo intuitivo de água, que é Peixes. As combinações podem ser as mais variadas.

Perceber o Sol é uma tarefa que pode levar tempo, um processo de interiorização que a sociedade moderna não favorece. Quando alguém diz para ouvir a voz do coração, é ouvir simbolicamente esse Sol. Esse astro que rege o signo Leão e, que não por acaso, rege o próprio coração. Por isso não se preocupe, se você ainda não se identifica com o seu sol, no tempo certo ele irá se revelar. Talvez ele não seja o que você imaginou, mas com certeza será o que você mais precisa para ser feliz. 

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional


TROCANDO ENERGIA COM O UNIVERSO                               

Quando falamos de mapa astral as reações são, desde um torcer de narizes até expressões de interesse e curiosidade. Um estudo intrigante que deixa muitas sobrancelhas em pé. Atitude compreensível visto que somos diferentes, e não é Freud quem explica, mas a própria Astrologia. Através dela abrimos as portas para o conhecimento de nós mesmos e do outro. Ela nos dá os elementos para o entendimento e nos revela o universo de cada um.

A astrologia é parte da História do Homem e da sua evolução, um assunto tão interessante que é garantia de longas conversas em qualquer canto do planeta. E mesmo quem não leva muito a sério, sempre de algum modo acaba dando uma esticadinha para ouvir sobre o seu signo e, às vezes, finalizar dizendo que é tudo bobagem. Mas pode sair com muitas pulgas atrás da orelha se a fonte da informação for fiel ao símbolo. O interesse por esse estudo é, justamente, porque ele nos permite esse contato com o que somos e o que podemos vir a ser.

Muitos procuram a Astrologia em busca de autoconhecimento. Outros apenas para ouvir de si mesmas. Mas não importa qual o motivo que leva alguém a sentar-se à frente de um Astrólogo para escutar o seu mapa, porque em algum nível a mudança tem muitas chances de acontecer. A análise astrológica nos ajuda a encurtar o caminho em nossa direção, o que não significa torná-lo mais fácil. Conscientizar-se de algo não significa mudança, existe toda uma bagagem  de crenças e valores que carregamos e que precisam ser confrontadas antes que isso possa acontecer. Esse movimento de revisão interior se dá aos poucos e no ritmo de cada um. A vida precisa de tempo para amadurecer. Vai depender da idade, da disposição, das experiências de vida. Muitas são as variáveis.

Compreender o mecanismo astrológico pode ser difícil no começo, até porque ele nos obriga a abstrair. Para mentes mais concretas pode ser uma tarefa complicada. É nesse momento que surgem questões sem respostas como: quem descobriu e como tudo começou? Quem teria sido o precursor de todo esse estudo, que desvendou o mecanismo cósmico que permite ler os corpos celestes e a sua influência sobre as pessoas e os eventos na Terra? Bem, lamento dizer que eu também não tenho a resposta, mas já pensei muito sobre isso. Até porque pensar não só na astrologia, mas como tudo isso começou, incluindo a gente, é algo que o Homem faz desde antes da invenção da roda e da descoberta do fogo. Olhar para as estrelas e divagar sobre seus mistérios mantém-nos entretidos a milhares de anos. E, se formos um pouquinho humildes vamos nos colocar no devido lugar. Até porque pensar sobre isso nos faz perceber quanta sabedoria ainda existe e que ainda não estamos aptos a perceber, sentir e compreender.

Digamos que a astrologia é um dos muitos caminhos dessa eterna busca do Homem pelo “conheça-te a ti mesmo”. Mesmo tendo algumas datas que identificam o início de um estudo dos astros e sua influência sobre nós, não há como prever com exatidão aonde e como começou. Certo é que ela é tão antiga quanto o Homem e com ele foi evoluindo ao longo das civilizações. Hoje ela é a soma dos conhecimentos antigos e, receptiva a acréscimos no agora e para o futuro. Por isso dá pra dizer que: não foi a Astrologia que evolui e, sim, a nossa capacidade de compreendê-la. Apesar de estarmos no século XXI, algumas coisas não mudam, uma delas é que por hora ainda existirão coisas acima da compreensão humana, e independente disso, não precisam de respostas exatas para continuarem a existir. Como Deus. 

Nesse Universo abstrato cabem todas as possibilidades e, cada vez mais agora, com o advento da física quântica, onde tudo pode e tudo é. Talvez com isso a humanidade comece a se sentir mais preparada para entender o que já foi escrito nos antigos tratados filosóficos. 

Caibalion nos diz: "O que está em cima está embaixo, e o que está embaixo está em cima". O micro e o macro. Da mesma forma que interagimos energeticamente uns com os outros, os planetas também o fazem e, nesse processo recebemos suas vibrações e interagimos com elas. E para quem quiser saber mais sobre as leis que regem a vida fica a dica deste livro, que pode explicar muito como funciona a Astrologia e a própria vida: “O Caibalion” estudo da filosofia hermética do antigo Egito e da Grécia. Boa Leitura!

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional


CABEÇA DO DRAGÃO                                                            


Cabeça do Dragão foi o nome que eu batizei o meu blog. Ele foi eleito com um propósito e que estava ligado ao seu significado. Hoje depois de algum tempo resolvi sentar para falar um pouco sobre a sua representação.

Na Astrologia onde eu me inspirei, Cabeça do Dragão é o nome que damos ao Nodo Norte, que no Mapa Astral representa o vir a ser; a direção a seguir; os potenciais a serem desenvolvidos, nesta nova experiência de vida. Em oposição a ele, encontraremos o Nodo Sul ou Cauda do Dragão, como também é conhecido. O Nodo Sul representa o passado e, trás consigo hábitos e memórias que não servem mais aos objetivos desta nova vida. Astronomicamente, os nodo lunares são pontos no espaço onde a órbita da Lua ao redor da Terra cruza a eclíptica (percurso aparente do Sol ao redor da Terra).

Por representar o vir a ser, a Cabeça do Dragão é para onde devemos direcionar nossa atenção, que é indicada pela casa e signo onde se encontra no Mapa Astral. Esse é o lugar em que precisamos nos aventurar para evoluir. O novo ainda não experimentado e que aguardo por nós. Segundo a Astrologia Cármica o Nodo Norte ou Cabeça do Dragão simboliza a área de maior expressão que se pode atingir nesta vida. 

Se tomarmos a "Cabeça" simbolicamente como a parte de nós por onde flui todo o material criativo e de ideias, e que devemos aprender a trazer para a prática, atingi-la plenamente pode levar a vida inteira, até porque antes disso teremos que desprender da Cauda, uma herança do passado que se expressa naturalmente. E quando se trata de ações instintivas, somente a conquista da consciência poderá nos ajudar a romper com o passado (Cauda) para alçar o voo em direção ao futuro e as suas promessas (Cabeça).

O Dragão deseja voar e, mesmo com dificuldades, lutará para desprender sua Cauda que o mantém atado ao passado e o impede de ir mais longe. A grande magia da vida é que mesmo isso não será suficiente para impedi-lo de voar. Não importa o tempo, um dia o Dragão dentro de nós irá falar mais alto e bravamente quebrará as correntes que o prendem a Cauda.

Como diz Martim Schulman no livro Nódulos Lunares: “O novo ciclo do Nódulo (Nodo) Norte é um novo problema ainda por resolver: é o descontentamento do Homem com os modos antigos e ineficientes de viver que utilizava em seu passado, somado ao grande desejo de descobrir e explorar os maiores potenciais do seu futuro.”

E é em direção a esse futuro que estamos construindo cada agora. Por isso não se deixe conduzir pelo destino, resultado dos muitos passados já vividos. Em outras palavras: se o Agora é a soma das experiências passadas, o Futuro será o resultado das ações no Agora, isso significa que o hoje é aonde tudo pode começar. 

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional


O GUERREIRO ESTÁ EM CASA                                              


Na madrugada do dia 12 de março, Marte entrou no signo de Áries, onde irá ficar até o dia 19 de abril. Marte em Áries está "domiciliado", ou seja, no signo do qual ele é regente. O guerreiro está em casa, lugar em que pode se expressar com mais naturalidade as suas características. Se isso é bom ou ruim? Isso só depende de você. 

Iniciativa, autoconfiança, independência, ousadia, competição, impulsividade, instinto e agressividade. Essas são algumas das palavras chaves do nosso guerreiro marciano. 

Durante esse tempo as coisas estão em um ritmo acelerado e, essa energia vai se expressar, justamente, na casa em que você tem o signo de Áries no seu mapa pessoal. O setor da sua vida onde Áries predomina, é onde você vai sentir mais a sua presença. Se houver aspectos positivos, você terá uma energia extra para tomar atitudes e avançar, se ao contrário, existirem aspectos desarmônicos, ela pode ser canalizada negativamente e, isso, vai exigir uma atenção dobrada para não criar tensões. 

Observe onde você percebe que existe mais tensão, qual o assunto que o está incomodando ou deixando você irritado. Se a energia do lugar estiver parada, Marte vai pressionar para que ela saia, e daí, se encontrar resistência as coisas podem ficar difíceis.


Está é uma oportunidade de, ao invés de chutar a porta ou, atirar antes de perguntar quem é, pensar sobre como você está conduzindo essa área (assunto) da sua vida. 

Consciência é o caminho, ela nos dá condições para conduzir a nossa vida de modo mais produtivo e inteligente. Isso nos permite aproveitar melhor as energias que o Universo nos oferece e usá-las de modo mais construtivo e a nosso favor. Aproveite!

Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional





Um comentário:

Muito Grata pela visita. Seus comentários enriquecem este espaço.