segunda-feira, 31 de março de 2014

A INUTILIDADE

Geralmente eu não coloco textos de outros autores. Não porque não goste, mas tomei por hábito. Aliás, seria ótimo, pois isso movimentaria mais o meu blog. Mas esse texto que me permita o seu autor publicá-lo aqui e propagar a sua mensagem, me veio como muito especial. Reescrevi parte do vídeo que está circulando. E abaixo segue o link, caso você se interesse em ouvi-lo e vê-lo, integralmente.

Considerei sua fala de um amor profundo e uma verdade inquestionável. É para nos fazer pensar sobre os nossos verdadeiros valores e, quais sementes estamos lançando no mundo, para que quando chegarmos ao tempo da inutilidade tenhamos ao nosso lado pessoas amorosas, capazes de ver mais do que aquilo que podemos fazer por elas. Vale hoje pensar no quanto somos amorosos com aqueles que hoje, já chegaram lá, no tempo da inutilidade. 

"A utilidade é uma coisa muito cansativa. Você ter utilidade para alguém é uma coisa muito cansativa. Tá certo realiza humanamente falando. É interessante você saber fazer as coisas. Mas eu acredito que a utilidade é um território muito perigoso, porque muitas vezes a gente acha que o outro gosta da gente. Mas não, ele tá é interessado naquilo que a gente faz por ele. É por isso que a velhice é esse tempo que passa a utilidade, e aí, fica só o seu significado como pessoa. Eu acho que é o momento que a gente purifica. É o momento que a gente vai ter a oportunidade de saber quem nos ama de verdade. Porque só nos ama, só vai ficar até o fim, aquele que depois da nossa utilidade, descobriu o nosso significado. Por isso, eu sempre peço a Deus, sabe, sempre faço a ele a oração de poder envelhecer ao lado das pessoas que me amem, aquelas pessoas que possam me proporcionar a tranquilidade de ser inútil, mas ao mesmo tempo, sem perder o valor. Quando viver aquela fase na vida: Põe o padre Fábio no sol...tira o Padre Fábio do sol.  Aí eu peço a Deus sempre a Graça de ter alguém que me coloque ao sol, mas sobretudo alguém que venha me tirar depois. Alguém que saiba acolher a minha inutilidade, alguém que olhe para mim assim, que sabe, que possa saber que eu já não sirvo para muita coisa, mas eu continuo tendo o meu valor. Que a vida é assim minha gente, fica esperto viu, se você quiser saber se o outro te ama de verdade é só identificar se ele seria capaz de tolerar a sua inutilidade. Quer saber se você ama alguém? Pergunte a si mesmo. Quem nessa vida já pode ficar inútil para você sem que você sinta o desejo de jogá-lo fora. É assim que nos descobrimos o significado do amor, só o amor nos dá condições de cuidar do outro até o fim. Por isso eu digo: Feliz daquele que tem ao final da vida a graça de ser olhado nos olhos e ouvir a fala que diz, você não serve para nada, mas eu não sei viver sem você." 


Link para ouvir integralmente
Padre Fábio de Melo


Por Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito Grata pela visita. Seus comentários enriquecem este espaço.