quarta-feira, 11 de setembro de 2013

ASTROLOGIA - O que explica as diferenças entre pessoas do mesmo signo

Você já ouviu esse comentário? 

"Eu não tenho nada do meu signo solar. Ou então: Sou do mesmo signo de fulano e somos tão diferentes. Isso tudo é bobagem, não sei como tem gente que perde tempo com isso."

Com o intuito de ajudar na compreensão desse dilema astrológico, vou explicar o que pode promover essa aparente diferença entre pessoas nascidas no mesmo Signo Solar. Ela começa justamente no nome: "Signo Solar". Ele é o signo onde o Sol transitava no momento do nascimento. Então quando alguém diz que é do signo de Aquário, ela quer dizer que, quando nasceu, o Sol estava nesse signo.

O Sol representa a nossa identidade, a nossa essência, o motivo de estarmos aqui. Ele é o carro chefe dessa comitiva que leva consigo mais nove corpos celestes, e é sem dúvida, o personagem principal nesse cenário astrológico. Mas para que sua expressão se torne completa, outras sutilezas do ser também precisam se expressar. Por isso é correto dizer que temos no mapa vários signos, como por exemplo: o signo Ascendente, o signo da Lua, o signo de Vênus etc. E é aí que as diferenças se apresentam e que podem dificultar a percepção da natureza Solar. Essa alquimia planetária pode nos dar a impressão de que pessoas do mesmo signo são diferentes ou, até mesmo dificultar uma pessoa em identificar-se com o seu próprio signo. Neste último caso, vale acrescentar que o sol, que é nossa identidade, vai se revelando aos poucos à medida que amadurecemos. Por isso pode não ser tão claro na primeira fase da vida. Outros caminhos precisam ser percorridos até que as qualidades do sol se apresentem em sua totalidade.

As qualidades do signo do Sol revelam os propósitos da nossa alma, mas nem sempre sua natureza combina com o nosso modo de agir, de amar, de pensar e de sentir. Essas particularidades são expressas por outros planetas que podem estar, ou não, no mesmo signo do Sol. A saber:

1. Ação – planeta Marte;
2. Afetividade e valores - signo onde se encontra Vênus;
3. Reações emocionais, condicionamentos - Signo onde temos a nossa Lua; 
4. Mental, modo de pensar, aprendizado - Signo onde está o planeta Mercúrio;
5. Ascendente - como nos colocamos no mundo, nosso corpo físico.

Esses quatro planetas, chamados de pessoais mais o ascendente, podem modificar o modo como o Sol encontrará canal para se manifestar. O propósito solar será o mesmo para os que nascerem no mesmo signo, mas as abordagens nem sempre serão. Como um corpo, nossa estrutura biológica é a mesma, mas isso não nos torna iguais, apenas semelhantes. Assim é o mapa astrológico, a estrutura é a mesma, mas o modo como ela se apresenta e se manifesta nem sempre será.  

Um mês, trinta graus, um signo solar, nove corpos celestes, doze signos, doze casas, aspectos, ascendente e mais. Elementos que se misturam e que vão se transformando a cada minuto numa dança planetária ininterrupta e, em um dos passos dessa dança, nascemos. Uma dança que acontece em tempos diferentes para cada planeta, refletindo  nos comportamentos de cada pessoa e em cada geração. Somado a isso temos ainda os fatores externos, tais como a sociedade e a cultura da época em que nascemos. E para completar, um item que não pode ficar de fora e que considero o mais importante: a maturidade espiritual. Está em especial é a chave mestra para o bom uso das energias apresentadas no mapa. Isso talvez esclareça um pouco a questão com relação às pessoas nascidas no mesmo momento. O fato de recebermos o mesmo “presente cósmico”, não determina o mesmo uso disso que se recebeu. A bagagem espiritual e o livre-arbítrio é quem irá definir como esse presente será utilizado. E isso com certeza não é pouca coisa. Como na parábola dos talentos, ou seja, o que fazemos com o que recebemos é de inteira responsabilidade nossa. Cabe a cada um aproveitar com sabedoria o que recebeu. 

Diante disso dá para perceber que a complexidade astrológica é apenas um reflexo da própria complexidade humana, e para ser compreendida precisa de estudo e esforço. Ela é um caminho como muitos para se chegar a uma melhor compreensão de nós mesmos e, tudo que nos leva para mais perto de nós, não pode e nem deve ser deixado de lado. Somos ensinados a ter fé, mesmo em coisas que nunca vimos. Bebemos das águas dessas fontes que alimentam o espírito e acreditamos assim mesmo, sem ter como provar. É o ato de fé. A Astrologia é uma dessas fontes e, no caso dela, não existe a necessidade de fé, basta estudar e conhecer para compreender a sua força e validade na vida da gente.

Então se você tem dificuldade em identificar-se com as qualidades do seu signo solar, entre em um site de Astrologia e levante o seu mapa. Certifique-se de que a hora do seu nascimento está correta e, talvez você descubra, a título de exemplo que o seu Sol tímido e sensível em Peixes tem como assistentes uma Vênus em Aires, um Marte em Aquário, uma Lua em Sagitário e um Ascendente em Leão. Todos, signos masculinos e de ação, trabalhando na realização desse signo intuitivo de água que é Peixes. As combinações podem ser as mais variadas.

Perceber o Sol é uma tarefa que pode levar tempo, um processo de interiorização que a sociedade moderna não favorece. Quando alguém diz para ouvir a voz do coração, é ouvir simbolicamente esse Sol. Esse astro que rege o signo Leão e, que não por acaso, rege o próprio coração. Por isso não se preocupe, se você ainda não se identifica com o seu sol, no tempo certo ele irá se revelar. Talvez ele não seja o que você imaginou, mas com certeza será o que você mais precisa para ser feliz. 


Texto de Rosana Sidom - Astróloga e Terapeuta Vibracional

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito Grata pela visita. Seus comentários enriquecem este espaço.