quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Parada para a próxima estação


Estação: Inverno!

Um mergulho para dentro do armário em busca de uma blusinha para cobrir a pele e tentar diminuir a sensação térmica, que resfria os ossos e inibe os movimentos. O frio chegou! Você mergulha para debaixo dos cobertores; para dentro de pratos de sopa escaldante e de xícaras fumegantes de chocolate quente; todos com o propósito de aquecer o corpo e a alma, que esfriam. E, se for pra sair, tem que ser um programinha que também esquente; se não, nem pensar em arriscar pôr o nariz, da porta pra fora.

Nesses tempos frios ficamos mais limitados, em muitos sentidos. Queremos nos aconchegar; queremos nos recolher mais cedo para dentro de casa e, de repente, também para dentro de nós. Ficamos mais deprimidos, tristonhos, fechados. E se você se antenar vai perceber que não é apenas o frio que nos convida ao recolhimento, não sabemos bem exatamente o que é, mas parece que um eco dentro de nós avisa que algo precisa mudar. E para descobri-lo, é necessário recuar um pouco do burburinho do dia a dia. E é o inverno o mês ideal para fazê-lo.

As estações contem em si um propósito peculiar a sua natureza. Elas são a exata medida, controlada pelo relógio do tempo para algum processo. Ele não se revela escancaradamente, mas nos manda mensagens. No inverno o processo indica o encerramento de um ciclo, que teve inicio na primavera anterior. Ele é a estação das finalizações. Toda a natureza, isso inclui a nós, precisa se desprender do que não serve mais, para que possamos entrar mais leves, no novo ciclo que recomeça todos os anos a cada primavera.

Por isso, aproveite esse momento que favorece o desprendimento. Investigue! Descubra o que precisa ser varrido para longe da sua vida. Pode ser um amor, um amigo, um emprego, uma casa, um comportamento, um estilo, muitas coisas. Comece fazendo algo que lhe pareça interessante, mude o cabelo; mude o jeito de se vestir; a disposição dos móveis; faça coisas velhas de um jeito novo; faça coisas que nunca fez; abra-se para novos contatos, pessoas novas sempre trazem consigo suas próprias vivências e, isso, é muito enriquecedor. Existem várias maneiras de trazer o novo para a nossa vida e, fazendo isso, o velho meio que se toca que tem que partir.

O novo não consegue bater a nossa porta quando vivemos, sob o mesmo teto, com aquilo que já se desgastou e pior, que teimamos em deixar ficar. É preciso abrir espaço para todos os canais da vida: a mente, o corpo e o espírito. E se começar a praticar, vai perceber que o ato de se permitir coisas diferentes e novas em sua vida, aos poucos se torna natural, como as Estações. E um dia você vai se descobrir mudado.

Então mãos a obra, se ligue no momento e aproveite, ainda dá tempo, o inverno ainda não acabou. Acompanhe esse ritmo que a vida oferece todos os anos. Mande principalmente para longe o inverno "simbólico" que pode estar vivendo com você, que limita os seus movimentos e engessa a sua natureza criativa. Deixe a mudança acontecer, principalmente dentro de você, o fora virá como conseqüência. E lembre-se: o ano que vem tem mais, porque a vida é assim, um estado constante de renovação.

Prepare o solo para as novas sementes, deixe o novo entrar pelas janelas da próxima ESTAÇÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito Grata pela visita. Seus comentários enriquecem este espaço.